Podem ouvir e recordar...

Podem ouvir e recordar...
Foi lido lá em Portugal!

Mais um texto daqui, foi lido lá na RÁDIO SIM,de Portugal

Ouçam AQUI

Vejam no Coisinhas da chica!

Vejam no Coisinhas da chica!
Basta clicar!

Lá no chica escreve tem...

Lá no chica escreve tem...
Basta clicar!

  ♥  Botando a cabeça pra funcionar nº 4 ♥






A imagem da vez é essa:



Minha inspiração:

Janelas...
Uma ao lado da outra...
No entanto, tantas vezes, moradores nem se veem...
Nem se conhecem...
Nada do outro sabem...
Nada do que se passa na vida é imaginado...
Indiferença ou correrias da vida?



E vocês?  Como se inspiram nessa foto?



Podem fazer um post ou deixar, simplesmente aqui nos comentários...


*Quem deixar  a participação nos seus blogs, o link será colocado por mim aqui abaixo:

15 comentários:

  1. De manhã, quando abro a janela é como se a abrisse ao mundo, à natureza!

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  2. É isso mesmo, Chica... Tão juntinhos e longe demais uns dos outros...
    Bom sábado e um abraço...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://fragpoeticos.blogspot.com.br/

      Com carinho

      Excluir
  3. Bom dia, querida amiga CHICA!
    Bem legal morar em frente a um prédio azulzinho... se parece com o mar, rs...
    Graças a Deus moro num prédio de frente pra orla e nem penso nisso mas as vizinhas são ótimas, além do mais...
    Entretanto, vc descreve uma realidade atual...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  4. Janelas abertas à vida, no entanto se fecham me si mesmas

    ResponderExcluir
  5. Amanheci, a saudade permanecia,
    Abri a janela, qual reflexo da minha alma,
    Deixei entrar o sol
    E meu coração se alegrou.

    (pobre, mas sentido)

    Bom fim de semana
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Verdade Chica !
    janelas que se abrem e fecham sem ao menos um bom dia
    Eu fui longe nas minhas la no post
    exagero até
    mas pura verdade !
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Chica,acho que são as duas coisas,indiferença e correrias da vida.
    Poucos são àqueles que nos cumprimentam,principalmente morando em apartamento como eu.rs
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Chica!
    Pulei a inspiração nº 3, mas aqui está a atual:
    https://viver-celina.blogspot.com.br/p/chica-brinca-de-poesia_91.html
    Sobre seu texto, pode ser mesmo a correria que leva à indiferença. Vamos procurar minimizar isso com nosso sorriso e palavras.
    Bjs, bons feriados!

    ResponderExcluir
  9. Muito boa reflexão sobre a vida nos grandes centros e no desprezo pela relações amistosas.
    A indiferença é tamanha e cada qual se fecha no seu mundinho.
    Um bom domingo Chica. Deixo o link abaixo:
    http://mineirinho-passaredo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Chica, acabei meditando sobre o que escreveu... eu moro em condomínio e conheço poucas vizinhas, mas porque sou reservada, mesmo, vemos tantas fofocas de quem expõe sua vida, acabo preferindo me preservar. Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Tão perto e tão longe uns dos outros, como diz, Chica...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. Sabe que ando questionando isso? Correria, indiferença... os vizinhos não são mais como antigamente... acho tudo tão diferente Chica... principalmente morando em apto.. não ha mais entrosamento.. ir na casa do vizinho.. brincar... ai... o mundo mudou..

    Um beijo e bom domingo!!

    Tê e Maria ♥

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Chica,
    Bem verdade, essas blocos de cimento armado onde as pessoas vivem e mal se conhecem os vizinhos!
    Um tristeza dos nossos dias.
    Só hoje pude participar.
    Beijinhos e continuação de óptima tade.
    Ailime

    ResponderExcluir
  14. Oi, Chica!

    Depois de ler o post do Toninho, acho que nem tenho mais nada a acrescentar, pois, foi muito completo (risos).

    Mas, arrisco-me a dizer que o edifício de concreto, nada tem a ver com a minha maneira de olhar o mundo. A verdadeira janela é a do meu espírito livre que capta a beleza nas suas mais variadas expressões. O fato de viver numa selva de pedras não me torna fechada, se eu não quiser. Eu posso ir ao encontro dos outros, quando eles não vierem a mim. Eu posso promover encontros, quando eles não puderem acontecer espontaneamente. A paz, a mudança, o convívio fraterno, começam em mim. Que eu seja sempre essa janela aberta para o mundo, independente das circunstâncias.

    Paz e luz!

    ResponderExcluir

Obrigado por vir me ver aqui também...